sábado, 18 de fevereiro de 2017

CÂMARA MUNICIPAL DE TUFILÂNDIA INICIA SUA 6ª LEGISLATURA ABORDANDO ASSUNTOS COMO: ENERGIA ELÉTRICA, ESTRADA E ESCOLA.

Tufilândia Acontece de Olho nas Notícias.


Nesta última sexta feira, 17 de fevereiro de 2017, ocorreu a 1º sessão solene na Câmara Municipal de vereadores de Tufilândia, a mesma iniciou por volta das 10:15. O previsto era pra começar as 10;00 horas mas por falta de energia elétrica houve esse pequeno atraso. O interessante é que a energia elétrica de Tufilândia era justamente um dos assuntos a estar em pauta para ser abordado em plenário assim como a estrada e a escola do povoado de Santa Teresa.


ESTRADA.


A primeira a se pronunciar referente a estrada MA 119 foi a vereadora Dalva. Que apontou os danos que a estrada vem sofrendo por conta das cargas pesadas que empresas empreitadas da VALE vem causando com seus veículos pesados.
O vereador Elisvaldo Martins enfatizou dando seguimento a reclamação da vereadora e disse que estar disposto a unir com o corpo legislativo para fazer frente e tratar com a VALE para uma solução já que a estrada está sendo destruída pela a mesma.




Vereador João Batista 


O vereador João Batista (Cabuça)  falou do seu primeiro mandato e que da mesma forma que fechou buracos com as próprias mãos, vai pra cima pra trazer solução para o povo tufilandense em relação a estrada que com muito esforço chegou até Tufilândia.



A empresa VALE não se manifestou para dar esclarecimentos em resposta a outras manifestações anteriores, mas os 9 vereadores que compõe o corpo legislativo agora estão unidos no propósito de resolver o problema da estrada que liga a BR a Tufilândia.

CEMAR.


Há muito tempo os moradores de Tufilândia vem sofrendo com a iluminação que é de péssima qualidade em nosso município, o caso é que a fornecedora de energia CEMAR não está nenhum pouco interessada em dar uma solução para este problema que vem causando grandes prejuízos a população, pois com as quedas constantes de energia os comerciantes têm grandes prejuízos, exemplo disso, quem trabalha com panificadoras com frios e quente que dependem da energia acabam tendo um prejuízo fora do controle.
Em nota um dos moradores, o micro empresário Jean da Panificadora Vitória relatou que por muitas vezes tem que jogar fora sacos de trigos pois quando está batendo a massa para fabricação dos pães a energia falta e chega a ficar até 2 dias sem energia elétrica e a CEMAR não toma providencias, porém na hora da cobrança o valor excede ao consumo dos moradores. 


 O Presidente da Câmara Isaque afirmou que em 2005 foi aprovado que a taxa tributaria da iluminação pública não passava de um 1,00 real porém a empresa vem cobrando muito mais que isso e o que é mais curioso é que esse repasse vem sendo feito de maneira desordeira para a prefeitura sendo que deste 2005 nunca foi cumprido o acordo que rege a documentação assinado na câmara , e para reajustar esse valor anual a Câmara teria que estar ciente e aprovar esse reajuste. 
O presidente da casa disse ainda que irá chamar a Companhia Elétrica do Maranhão  para uma conversa e um reajuste para esta situação tendo em vista que está absurdamente fora do controle,  já há dois dias  Tufilândia está sem eletricidade fora as inúmeras vezes que a energia cai e a empresa  não dá suporte. 
O que é ainda mais intolerante é que mesmo sem chuvas e sem vendavais a eletricidade cai.  


O Vereador João Cabuça afirmou que a Cemar mandou um projeto para a Câmara Municipal com o propósito de aumentar o valor das tarifas de iluminação pública, mas a Câmara não aprovou e deixou claro que estar a favor do povo .
A população já está tomando suas medidas para uma possível solução quanto a este problema, os vereadores estão prontos para apoiar a população e para resolver de vez o problema  das constantes quedas de energia elétrica

ESCOLA DO POVOADO DE SANTA TERESA  


Em parceria com a Prefeitura Municipal de Tufilândia a empresa VALE S.A  teria que construir uma escola no povoado Santa Tereza, a obra está em sua reta final , porém as aulas já deram início e os alunos estão sofrendo com a falta de interesse da Vale em concluir a escola.
Em nota a empresa  declarou que embargou os recursos para conclusão da escola por falta de prestações de conta da prefeitura  a administração do município se manifestou e disse que já foram feitas as prestações de conta com a Empresa, porém o recurso financeiro para conclusão da escola ainda estão embargados . 
Os vereadores  vão está entrando em contato com a VALE para tratar de soluções para que os alunos não sejam prejudicados.



O blog está apurando mais detalhes qualquer novidade estaremos publicando levando a informação até você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário